Tuesday, March 27, 2012

Chocolate - Meninas dão porrada!



Nem só de maquiagem e creminhos vive uma mulher... gosto de um monte de coisas do mundo masculino, dentre essas, filmes de porrada! A algum tempo atrás vi um ótimo, "Chocolate" (também conhecido como Chocolate Fighter) de 2008. Muito bakana porque a protagonista é uma menina que bate por metro quadrado!

O roteiro é mais ou menos e explico: praticamente não temos filmes em que a protagonista seja o ás da luta marcial e quando acontece, a garota é autista. Nada contra, que fique claro, mas por que a garota precisa ser especial para ser uma foda em lutas? Mais a frente do filme, vemos que ela é inigualável e não existem oponentes para ela... Até que surge um... que para ser oponente, é também um garoto especial. Precisa ser assim? Apesar disso,  o roteiro tem sacadinhas engraçadas e um personagem "escada" (Moon) que é bem legalzinho. Salva!




O que verdadeiramente me impressionou foi a técnica de luta para cinema! Conta-se que tiveram muitos problemas de produção das sequências, já que haviam de fazer adaptações para que a garota pudesse "encarar" os caras de verdade, ou pelo menos parecer de verdade. Mas JeeJa Yanin (Zen adolescente) dá conta do recado!




A edição é bem bakana, rápida como deve ser, com vários cortes e sequências ótimas. Os momentos "on the beat" (em que trilha e corte aparecem juntos) acontecem bastante, contribuindo para a ação. Mas o legal mesmo são as sequencias finais de batalha (vira isso mesmo), onde não exite trilha sonora, somente  efeitos de som que acompanham a luta e os cortes dados por várias câmeras. Vale uma sequencia feita nas paredes de um prédio (!), que me lembrou muito o video game Shinobi (o de fliperama, que fique claro), porque não para de sair gente pelas janelas e portas do lado externo do prédio. Muito bom!


Os tailandeses não economizam para fazer cinema de artes marciais, mesmo não tendo orçamentos gigantescos como os americanos. Entretanto, isso não impedirá que você veja cenas incríveis em vários ângulos de câmera e com direito um momento lúdico: o sonho 3d de vídeo game que Zen tem pouco antes de descobrir que sabe mesmo lutar!


Sinopsezinha: Zin, uma mulher de beleza exótica e parte da máfia tailandesa, se apaixona por Masashi, um gangster japonês, de passagem pela Tailândia. 

Quando o chefe (e namorado) de Zin descobre que está sendo traído, o bicho pega! Zin, temerosa, manda Masashi voltar para o Japão. 

Grávida, foge para ter sua filha em paz. Assim que a criança nasce, Zin descobre que a filha é autista e deixa tudo para viver exclusivamente para a garota. Contudo, a menina parece ter uma grande atenção para as artes marciais. Ela desenvolve seu dom, mostrando reflexos rápidos e absorvendo tudo o que vê. Lógico que é muito mais que isso... mas vale a pena, então procura pra ver!

Beijos e até o próximo <3

1 comment:

Ώ Videl said...

Você não entendeu bem o por quê de serem espaciais. A idéia do filme é dizer que pessoas especiais podem fazer de tudo, que crianças autistas também podem agir como pessoas normais. Por isso, precisa sim a Protagonista interpretar uma garota especial e o único oponente para ela, outro especial.